Os novos paradigmas para 2017



Esse post será o mais importante para o ano que entra e na verdade as novas posturas da dominadora que sou e as novas regras da minha Senzala serão pautadas agora e já entrarão em vigor dia primeiro de dezembro, por isso, é fundamental que leiam com muito cuidado.
Estou na metade do curso de psicologia e muito empolgada, mas tenho que refletir junto a todos, minha posição, pois ser psicóloga daqui alguns poucos anos, receberei um título, um código de ética e uma responsabilidade que eu teria que escolher ser a dominadora que conhecem ou abandonar tudo isso. O fato é que agora eu tenho muito mais poder, muito mais técnicas e muitos, mas muitos pedidos de entrega justamente por ser o que sou, por usar conhecimentos para controla mentes, ajudar nos conflitos, responder a dúvidas dos fetiches tão apreciados por mim.
Por outro lado, também tem uns pouquíssimos “pés no saco” que me criticaram, ameaçaram, condenaram-me até á processos e questionaram minha ética e o mau uso dos conhecimentos de psicologia para dominar, o que me deixou muito mal, mas conversando com profissionais da área e com os submissos que viram um potencial dominadora psicóloga, fizeram com que eu desse a volta por cima e continuasse sendo completamente ética comigo e com meus pares.
Nesse ano, eu terminei a fase de conhecimentos básicos e fundamentais em psicologia e os anos que me restam, será justamente a prática, isto é, formação da psicóloga de consultório, educação ou organizacional. Tive um curso de técnicas de diagnósticos e aprendi os testes de psicologia. Nessa última matéria, que é sedutora para muitos, pois querem se conhecer, pude formar um grupo de dominadoras que também estão cursando psicologia e fiz um projeto de pesquisa que acabei de concluir com êxito, sendo que tenho em minhas mãos um teste somente meu para utilizar sem que esbarre nos tradicionais testes que somente psicólogos podem fazer, esse teste é experimental e tem o aval de profissionais.
Desde que eu disse ser estudante de psicologia, meus escravos, cadelas e amigas dominadoras queriam que eu discursasse sobre as causas do BDSM, se era ou não distúrbio ou se tinha tratamento e pior os que estavam em conflitos e me procuravam para serem dominados e ainda serem terapeutizados. Fiz isso, busquei todas as possíveis teorias para ajudá-los, Freud, Lacan, Skinner e fui mais longe, Aristóteles, Platão, Nietzsche e Foucault e o que eu concluo é que cada um tem uma visão da coisa e ninguém, chega a nenhuma conclusão satisfatória.
Portanto, a partir de agora não falo mais uma palavra sobre essa celeuma, quem tiver curiosidade, leiam meus posts antigos e comentem, mas da minha boca não vou perder mais tempo debatendo isso, BDSM é a arte de dominar e ser dominado, ponto final. E isso eu sei fazer melhor ainda do que antes.
Do mais, vou ser dominadora mais compenetrada, sem muitas trocas de mensagens, mais objetiva e porque não, usar todos meus conhecimentos que adquiri para domar mentes rebeldes, sejam em conflitos ou disponíveis para me servirem e os mais bem-vindos, serão cobaias para meu teste psicológico, criado e utilizado por mim com muito sucesso, diga-se de passagem.

Por Senhora do Castelo.